terça-feira, 19 de abril de 2016

Das grandes dádivas o que sobra é uma pequena pedra, pedra perpétua


dá-me algo mais que silêncio ou doçura
algo que tenhas e não saibas
não quero dádivas raras
dá-me uma pedra
não fiques imóvel fitando-me
como se quisesses dizer
que há muitas coisas mudas
ocultas no que se diz
dá-me algo lento e fino
como uma faca nas costas
e se nada tens para dar-me
dá-me tudo o que te falta!
[carlos edmundo de ory]

Sem comentários:

Publicar um comentário