segunda-feira, 6 de outubro de 2014

3.


Eu seguro este ramo,
pequeno adorno,
que se desfez ao primeiro olhar,
a penumbra deixa-me ocultado.

Por onde vais
volto num rosto molhado
a seguir o vento, o sul
dos muros onde a teus pés brilha
a serpente e adormece.
Vê, não posso
mentir-te noutro corpo.

[Fernando Luís]

Sem comentários:

Publicar um comentário