terça-feira, 21 de outubro de 2014

Descendo este vale, corro para ninguém


Tu estás ao fundo das imagens. És a água silenciosa que bebo, a lentidão dos meses quentes – e mordes o meu coração com a boca de quem ignora tudo.

[Vasco Gato]

Sem comentários:

Publicar um comentário